Textos

O QUE APRENDI NO JORNALISMO.
 
Mal chegando na redação do ESTADÃO onde era repórter o chefe de reportagem Natal Sartoretto me chamou e disse: O general Lauris Norstad está hospedado no Hotel Jaraguá e você o  procura para entrevistá-lo...Nada mais falou...
Peguei o elevador do quarto andar e desci. E o hotel Jaraguá era ao lado do ESTADÃO  ainda localizado na rua Major Quedinho, ambos situados bem no cento de SAMPA, na época.
Nunca ouvi dizer de Lauris Norstad e nada sabia da ilustre figura. Nem existia o “Google” na época ...para me salvar!
Com a cara e coragem cheguei na portaria e pedi a presença no saguão pelo general para uma entrevista.
Em alguns minutos estava com o general que apareceu à paisana eis já estava na reserva.
Simpático e cordial ficamos no saguão em confortável poltrona e comecei a conversar –em inglês. Perguntei qual a razão de estar em SAMPA, visitando o  Brasil.
Com extrema simplicidade e cordialidade respondeu o militar que estava só fazendo escala no Brasil, mas que iria ao Chile noutro dia onde tinha uma fábrica de “fiber glass” ou seja: fibra de vidro.
Depois de alguns minutos encerramos o bate-papo e ao chegar na Redação fiz só duas laudas da entrevista e Natal perguntou-me: só isso?
Não sabia o que responder...Estava sem “chão”.
A rigor, com humildade afirmo era bem jovem e meu inglês deixava a desejar. Por outro nada sabia sobre a vida do general...
Ainda curioso e intrigado, mais tarde  soube quem foi Lauris Norstad:
O general desde a Academia de West Point já era notado por professores e superiores como uma pessoa especial. Quando jovem ainda foi excelente desportista e admirado por todos.
Sempre magro terminou o curso militar com brilhantismo e ocupou mais tarde vários cargos importantes na carreira. O mais digno de citar foi o de comandante-chefe da NATO (em inglês) e ou OTAN para todos nós. Ao tempo nomeado pelo então  presidente dos Estados Unidos: Dwight Eisenhower que também já era general já na reserva. Este comandou a maior operação de guerra de todos os tempos: a invasão da Normandia contra a Alemanha de Hitler.
Agora, por coincidência, o atual presidente dos EUA, Joe Biden acaba de ratificar seu total apoio a OTAN, o que não fez seu antecessor. Biden-com isso- foi elogiado e aplaudido por todos os chefes de Estado e líderes  da União Européia e aliados. Continua, pois, a OTAN como elo de defesa dos países ocidentais, agora com a suposta interveniência da Rússia, via Putin, no mundo.
Joe Biden- ao contrário de seu antecessor acaba também de aderir os EUA no chamado Acordo de Paris, que trata da questão ambiental do mundo e seu gradual aquecimento global. Pontos positivos ao novo presidente dos EUA.
Recorde-se que a OTAN surgiu após a 2ª. Grande Guerra, já em tempo de paz no mundo, para fazer frente e segurança aos países europeus que temiam a influência gradual da então ex-União  Soviética, pois  esta aceitava e adotava a famosa “guerra fria” em relação às armas nucleares e a corrida espacial frente ao Ocidente.
Quando Norstad assumiu a OTAN havia cerca de 17 países que integravam a organização cedendo seus exércitos e forças armadas ao comando de Lauris. Pelo óbvio Norstad tinha   um poder inimaginável na época. Pessoal e armamentos dos aliados em permanente união estável.
Logo no comando dessa super força militar e, naturalmente, com viés político, o general Norstad de quatro estrelas –(fim de carreira)-teve à época séria divergência com o presidente Charles De Gaulle, eis que a França queria desenvolver e fabricar bombas nucleares..Norstad venceu e convenceu
pois, achava desnecessário tal comportamento do líder francês. Na seu comando na OTAN era necessário ser também um político hábil sem precedentes.
EM TEMPO: Lauris Norstad foi também combatente na 2ª. Grande Guerra na condição de piloto do Exército.
***
 Morreu em 1988 e repousa num cemitério   com uma singela lápide. Sem alguma ostentação.
Com tais informações acredito que cumpro –em parte- a missão de repórter que fiquei devendo aos leitores do “jornalão” e a Natal Sartoretto, falecido há anos, em Paris quando chefiava a diretoria de multinacional, em acidente de trânsito. Morreu também seu motorista. Natal era formado em medicina na área da cardiologia. Grata lembrança.
Reconheço o que segue abaixo:
A ignorância faz parte de grandes males.

 
helion verri
Enviado por helion verri em 21/02/2021


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr