Textos

“RATOS DE SACRISTIAS”-BISPOS E PADRES
SÃO PRESOS EM GOIÁS PELA POLÍCIA.
 
Da própria Constituição Federal de 1988 e mesmo antes,as igrejas, as paróquias, os templos ( aqui englobando todas essas instituições católicas ou não) recebem um beneplácito legal de isenção total de impostos(ou qualquer ônus)...e transformam tudo num mistério o quanto arrecadam diária ou mensalmente...(dos incautos e/ou carolas) é  uma “causa preta” intransponível para aos governos e ao povo em geral.
É tradição brasileira e está inserida na Lei Maior.
Só que historicamente essa “liberalidade” do Estado nacional já vem da colonização, pois, pelo que sei pelos estudos ginasiais –com clérigos- já se comentava que muitos projetos de igrejas católicas deveriam ter duas torres e só excepcionalmente uma em alguns rincões- por exigência de Roma, ordem papal, e, jamais essas obras chegavam ao fim da segunda torre, eis que sob a vã alegação aqui,  que não havia dinheiro suficiente para acabar a construção conforme se projetou. Hoje, ainda vemos essas igrejas sem a segunda torre...A sacanagem da colonização não ocorreu com os supostos colonizadores ateus que nos dissiparam todo a madeira de lei, para entregar à eterna proteção inglesa, conforme acordos dantanhos entre  embaixadores e governos da época. Coisa do passado e que chega aos nossos dias conturbados.
O QUE INTERESSA:
O bispo de Formosa, estado de Goiás, José Ronaldo Ribeiro, um vigario geral e outros quatro padres hoje (19) acabam de serem presos por suspeitos de desvios de mais de 1 milhão de reais da diocese de Goiás, segundo apontou o Ministério Público Estadual. Parte desse dinheiro foi usada para compra de fazenda de gado e uma casa lotérica (sic) na cidade de Posse, interior do Estado. As propriedades estavam em nome de laranjas.
Cerca de 13 mandados de prisão foram  cumpridos e 10 buscas e apreensões realizadas em Formosa, Posse e Planaltina,cujo nome da operação é sugestiva- “Caifás”.O mosteiro e outras casas foram visitadas.
DINHEIRO NO GUARDA ROUPA- Numa das visitas em casas investigadas  os policiais encontraram num fundo falso do guarda roupa do monsenhor Epifácio Cardoso Pereira,na cidade de Planaltina(GO).Embora preso disse que “esse dinheiro é da diocese. Entretanto em outro local foram encontrados mais dinheiros e estão sendo contabilizados.
2015- Essa investigação começou em 2015  a pedido dos chamados “30 leigos católicos”- que  denunciaram a irregularidade e uso indevido da Igreja,sob a direção da Curia Diocesana de Formosa, que tem 33 igrejas em 20 paróquias.
Por ano são arrecadados cerca de 17 milhões de reais por meio de dízimos,doações e faturamento  de festas e cerimônias,segundo informou o promotor de Justiça Douglas Chegury,chefe das investigações. Só 10% era repassado à Curia e os demais serviam ao bispo e demais padres beneficiados.Desvios.
O desvio anual chega a 1 milhão.
PRESSÃO- O bispo Ribeiro convocou um padre de sua confiança que tinha funções de Juiz Eclesiástico  e mais um advogado e formaram um relatório falso no qual se afirma que nada é verdade e, tentaram intimidar testemunhas.
Darcivan da Conceição – ex-contador da quadrilha- desmente todos informando que a Curia e paróquias nada recebiam,para justificar a ação criminosa.
CONCLUSÃO- A picaretagem de igrejas e templos cristãos e evangélicos, estes se encontram em quase toda esquina no País, merecem alguma atenção das autoridades.
“In casu” – a de Formosa por estar próximo à Brasília, por uma questão de “contágio” pode entrar nas investigações que se processam na Capital da República. Sabe-se hoje que o Congresso Nacional há duas poderosas bancadas (desgraçadamente)- a da BALA  e DOS EVANGÉLICOS...
ESTAMOS FERRADOS.
helion verri
Enviado por helion verri em 19/03/2018


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr