Textos

UM RELOGIO - UMA PRECIOSIDADE
O meu relógio  é um Ansonia,
Sim,um “oito” para os colecionadores.
Veio de longe,lá de New York(USA)...
É do século XIX.
Diz,pelas badaladas que são nove horas
da noite...Após ouvir as 9 pancadas,talvez,
com a mesma sonoridade da sua origem,
repete a hora indiferente de seu antigo dono,
um professor da UNICAMP,que não conheci!!
Quantas vezes esse relógio badalou
para seu antigo dono?
Quantas vezes esse relógio irá
badalar para mim...embora,pouco a pouco,
no seu tic-tac,ao longo dos anos,
não tenho a audição dos 20 anos.
Relógio que comprei em Campinas,
de  relojoeiro,que também não vejo mais.
Acho que todo relojoeiro é sempre amigo...
Entretanto onde está o meu amigo relojoeiro,
já que,não vou mais a Campinas?
Casualmente,a última vez que estive com ele
disse:o antigo proprietário havia falecido!!
Assim,por outro,aonde foi parar o “oito”,Ansonia,
bem igualzinho ao meu que ficava na parede do
Grupo Escolar “Major Prado”,quando fiz o primário?
Religiosamente dava a hora da entrada à escola e,
Avisava a gostosa hora da saída.Que alívio!
Será que este meu relógio é aquele da minha infância??
Não sei,nunca saberei...
Só sei que enquanto puder ouvirei
seu indicador sonoro,
dar-lhe-ei corda religiosamente,
como se alimentasse a sua própria vida.
O Ansonia pulsa como um ser.Palpita,palpita.
É a vida em som ou o som da vida,
As badaladas do passado já se foram...
Onde estão os sons do passado??
Esse “oito” hoje é vida para mim.
A hora entretanto passa.
Passo eu também...
Passaria o relógio talvez.
Quem será o próximo possuidor,
sempre circunstancialmente temporário,
mero detentor para alimentar o seu pêndulo,
permitindo o som do tic-tac,
deixando também que o tempo passe,
como também,inexoravel escoa a vida ?? 
helion verri
Enviado por helion verri em 30/10/2013


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr