Textos

“RATOS DE SACRISTIAS”-BISPOS E PADRES
SÃO PRESOS EM GOIÁS PELA POLÍCIA.
 
Da própria Constituição Federal de 1988 e mesmo antes,as igrejas, as paróquias, os templos ( aqui englobando todas essas instituições católicas ou não) recebem um beneplácito legal de isenção total de impostos(ou qualquer ônus)...e transformam tudo num mistério o quanto arrecadam diária ou mensalmente...(dos incautos e/ou carolas) é  uma “causa preta” intransponível para aos governos e ao povo em geral.
É tradição brasileira e está inserida na Lei Maior.
Só que historicamente essa “liberalidade” do Estado nacional já vem da colonização, pois, pelo que sei pelos estudos ginasiais –com clérigos- já se comentava que muitos projetos de igrejas católicas deveriam ter duas torres e só excepcionalmente uma em alguns rincões- por exigência de Roma, ordem papal, e, jamais essas obras chegavam ao fim da segunda torre, eis que sob a vã alegação aqui,  que não havia dinheiro suficiente para acabar a construção conforme se projetou. Hoje, ainda vemos essas igrejas sem a segunda torre...A sacanagem da colonização não ocorreu com os supostos colonizadores ateus que nos dissiparam todo a madeira de lei, para entregar à eterna proteção inglesa, conforme acordos dantanhos entre  embaixadores e governos da época. Coisa do passado e que chega aos nossos dias conturbados.
O QUE INTERESSA:
O bispo de Formosa, estado de Goiás, José Ronaldo Ribeiro, um vigario geral e outros quatro padres hoje (19) acabam de serem presos por suspeitos de desvios de mais de 1 milhão de reais da diocese de Goiás, segundo apontou o Ministério Público Estadual. Parte desse dinheiro foi usada para compra de fazenda de gado e uma casa lotérica (sic) na cidade de Posse, interior do Estado. As propriedades estavam em nome de laranjas.
Cerca de 13 mandados de prisão foram  cumpridos e 10 buscas e apreensões realizadas em Formosa, Posse e Planaltina,cujo nome da operação é sugestiva- “Caifás”.O mosteiro e outras casas foram visitadas.
DINHEIRO NO GUARDA ROUPA- Numa das visitas em casas investigadas  os policiais encontraram num fundo falso do guarda roupa do monsenhor Epifácio Cardoso Pereira,na cidade de Planaltina(GO).Embora preso disse que “esse dinheiro é da diocese. Entretanto em outro local foram encontrados mais dinheiros e estão sendo contabilizados.
2015- Essa investigação começou em 2015  a pedido dos chamados “30 leigos católicos”- que  denunciaram a irregularidade e uso indevido da Igreja,sob a direção da Curia Diocesana de Formosa, que tem 33 igrejas em 20 paróquias.
Por ano são arrecadados cerca de 17 milhões de reais por meio de dízimos,doações e faturamento  de festas e cerimônias,segundo informou o promotor de Justiça Douglas Chegury,chefe das investigações. Só 10% era repassado à Curia e os demais serviam ao bispo e demais padres beneficiados.Desvios.
O desvio anual chega a 1 milhão.
PRESSÃO- O bispo Ribeiro convocou um padre de sua confiança que tinha funções de Juiz Eclesiástico  e mais um advogado e formaram um relatório falso no qual se afirma que nada é verdade e, tentaram intimidar testemunhas.
Darcivan da Conceição – ex-contador da quadrilha- desmente todos informando que a Curia e paróquias nada recebiam,para justificar a ação criminosa.
CONCLUSÃO- A picaretagem de igrejas e templos cristãos e evangélicos, estes se encontram em quase toda esquina no País, merecem alguma atenção das autoridades.
“In casu” – a de Formosa por estar próximo à Brasília, por uma questão de “contágio” pode entrar nas investigações que se processam na Capital da República. Sabe-se hoje que o Congresso Nacional há duas poderosas bancadas (desgraçadamente)- a da BALA  e DOS EVANGÉLICOS...
ESTAMOS FERRADOS.
helion verri
Enviado por helion verri em 19/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr