Textos

O SUPREMO CLAUDICOU...
 
O Brasil está catatônico, sem destino e sem horizontes, após a decisão do STF em dar “carta branca” ao Congresso Nacional para decidir o destino de seus membros ou seja seus literalmente (temporários)componentes. Alguns de duvidosa reputação, a saber: Paulo Maluf, Renan Calheiros, Eduardo Cunha (preso em Brasília), e assim vai, com um menino que hoje é velho ou velhaco que foi criado ao lado de seu avô- Tancredo Neves, cá entre nós, uma sobra mais ou menos pura da era Vargas. Aquela que se deve esquecer... Eis aí- o senador Aécio Neves que está na ribalta de uma crise em que o STF afagou de forma escandalosa e deixando os doutos e cultores do Direito–deveras- envergonhados.Minimamente:perplexos.
O STF que seria o último guardião da Constituição, a Lei Maior, que segundo Themistocles Cavalcanti em sua obra afirma ser a “lei de todas as leis”, deixou-se pela sua presidente, ministra Carmem Lúcia à nu – diante de um paradoxismo jurídico sem precedentes...Disse no inicio que era totalmente a favor do voto do ministro Teori e logo ao final entrega de bandeja uma manifestação que macula a tradição da velha casa dos homens chamados de bem.(juristas). Poe de lado, a velha tradição dos doutos e entrega aos mínimos e desprezíveis interesses de uma classe hoje reprimida e deveras odiada pela população mais esclarecida do País,por atos do passado e do presente... Tráfico de influência. 
O verbo “claudicar” tem origem histórica, eis que no Império Romano, no nascimento do imperador Claudius, ele nasceu aleijão e cresceu “manquetola”...Daí a expressão “claudicar”...Isso veio até hoje,aos nossos dias pela  língua portuguesa, muito embora, poucos saibam disso.
Não vem ao caso tratar do Imperador Claudio e seus defeitos congênitos, eis que, pior ainda é a nação brasileira estar entregue a notórios legisladores de péssima reputação e que de agora em diante vão “sponte própria” governar o País a seu modo e jeito pervertidos, embora no Congresso Nacional haja ainda honrosas exceções. São poucas, mas felizmente existem e são minorias.
A nação esperava um gesto maior de grandeza do STF,muito embora a crise institucionalizada estaria abaixo de um notório e histórico julgado, o que inocorreu.
Procurou-se apaziguar os ânimos dos insurretos e devassos legisladores que tem responsabilidades com a Justiça e de um forma indireta e contundente atinge diretamente a persecução penal da chamada e consagrada – OPERAÇÃO LAVA JATO.
A criminalidade agradece o gesto do STF que em filigranas finais do julgado, no desempate, dos votos, a ministra Carmem Lúcia, mostrou alguma vacilação e paradoxo em suas manifestações, dando a entender que era preferível a cada momento mudar os julgados da Casa Maior do que manter um confronto com o Legislativo, que sabida e notoriamente não tem nenhum apoio ou respaldo moral ou qualquer eiva de honorabilidade para se manter nesse chamado “status quo”- deprimente...
A nação está estremecida...e, não há horizonte para uma eleição em 2018 com candidatos “marretas” e “picaretas” de quase todos os partidos e repartidos, num total- extravagante e abusivo de 35- entidades de fancaria e de aluguel. Proxenetismo.
Há o risco de um Bolsonaro (doido e radical) e o perigo do réu Lula, freguês de Curitiba...Ou qualquer outro aventureiro, supostamente “salvador da pátria”... Ledo engano. Tais escolhas, não serviriam ao País. Aliás nós não merecemos o que ainda  poderá vir... Quem viver...verá!!!
A história não perdoará a decisão do STF, ora deferida.
helion verri
Enviado por helion verri em 13/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr